Telhado verde: ajuda mesmo ou é papo furado?

Atualizado: Abr 18

Escrito por Júlia Araújo Camargo sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


Com o passar dos anos, o crescimento populacional, o adensamento de construções e a mudança da paisagem caracterizaram o processo de urbanização. Em meados da década de 1950, um terço da população residia nas cidades; atualmente o cenário é outro, cerca de 70% da população está concentrada nos centros urbanos (ARAÚJO, 2007).


Segundo Cipriano (2018), dentre os problemas ocasionados pelo processo de urbanização, pode-se destacar o surgimento das ilhas de calor, que são as diferenças de temperatura entre a área urbana e a área rural no entorno, e ocasionam grande desconforto térmico para as pessoas. Esse fenômeno está relacionado também com o aquecimento das construções ao longo do dia, intensa circulação diária de pessoas e veículos, e com o fato de a estrutura das cidades não ser tão favorável à circulação de ar.


Uma das soluções arquitetônicas para tal problema, e que tem ganhado cada vez mais destaque, é a aplicação de telhado verde como compensação ambiental em construções urbanas. Esse sistema, também conhecido como ecotelhado, coberturas vivas ou coberturas verdes, apresenta em sua estrutura, basicamente, sete camadas diferentes, conforme Figura 1.


Figura 1 – Camadas que constituem a estrutura básica de um telhado verde

Fonte: POLETTO, 2020 (Blog Tua Casa).


A base do telhado verde pode ser a lajota cerâmica ou a laje, sendo que ambas devem receber uma membrana à prova d’água para evitar infiltrações e, consequentemente, futuras patologias na edificação. Alguns impermeabilizantes já vêm com componentes antirraízes, porém quando isso não acontece é indicado o uso de telas específicas para tal finalidade. A camada seguinte, composta pelo sistema de drenagem, é responsável por escoar toda água proveniente de chuvas e impedir o alagamento do telhado. O tecido permeável acima do sistema de drenagem é a base para se colocar o solo (popularmente conhecido como terra) que vai receber a vegetação, o qual será responsável por garantir o crescimento das plantas. A última camada é a vegetação, que pode ser grama ou alguma planta específica e que seja de raiz mais curta (ANVERSA, 2020).


De acordo com Saddi e Moura (2010), o que define o tipo de telhado verde é a espessura do substrato e o tipo de vegetação; podendo ser classificado em cobertura intensiva ou cobertura extensiva. As coberturas intensivas (Figura 2) apresentam vegetação com enraizamento profundo, como herbáceas, arbustos e árvores. Esse tipo de cobertura normalmente é utilizado em grandes estruturas e, por apresentar um elevado peso, precisa ser considerada no cálculo estrutural da edificação. As coberturas extensivas (Figura 3) são aquelas que apresentam enraizamento superficial, principalmente musgos, sedums e herbáceas, que por apresentarem baixo peso permitem com que esse tipo de cobertura seja instalada em estruturas pré-existentes.


Figura 2 – Cobertura intensiva

Fonte: CARDIM, 2016 (Blog Cardim Arquitetura Paisagística).


Figura 3 – Cobertura extensiva

Fonte: ALVES, 2020 (Blog Instituto Cidade Jardim).


De acordo com Righi et al (2016), o telhado verde apresenta algumas vantagens e desvantagens apresentadas a seguir:


Vantagens do telhado verde


  1. Isolamento térmico: as condições térmicas dentro da edificação ficam mais amenas, diminuindo gastos com equipamentos de refrigeração;

  2. Melhora na acústica da edificação;

  3. Evapotranspiração e sombra: ajudam a eliminar o efeito de ilha de calor presente nos centros urbanos;

  4. Água da chuva captada pode ser utilizada para fins não potáveis.


Desvantagens do telhado verde


  1. Se não for bem cuidado, pode atrair pragas urbanas, como o mosquito Aedes aegypti, conhecido popularmente como mosquito da dengue;

  2. Necessita de mão de obra qualificada.


Por último, é importante ressaltar que no Brasil ainda não existem normas técnicas para a construção de telhados verdes. Todavia, algumas cidades como Recife/PE, Guarulhos/SP e João Pessoa/PB apresentam leis que promovem a obrigatoriedade do uso do telhado verde em locais específicos. Em outras cidades, como Rio de Janeiro e Salvador, existem normas que incentivam o uso do telhado verde por meio de certificações/selos de sustentabilidade (VERTICAL GREEN, 2019).


Gostou do nosso post?!

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!


REFERÊNCIAS


ALVES, R. Sistemas Cidade Jardim para telhados verdes. Instituto Cidade Jardim, 2020. Disponível em: https://institutocidadejardim.com.br/. Acesso em: 25 mar. 2020.


ANVERSA, G. B. Telhado verde – Vantagens e desvantagens. Sienge Plataforma. Santa Catarina, 3 jan. 2020. Disponível em: https://www.sienge.com.br/blog/telhado-verde/.  Acesso em: 25 mar. 2020.


ARAÚJO, S. R. As funções dos telhados verdes no meio urbano, na gestão e no planejamento de recursos hídricos. 28 f. Dissertação (Graduação em Engenharia Florestal), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2007.


CARDIM A. P. De um telhado de amianto para o verde. 2016. Disponível em: http://www.cardimpaisagismo.com.br/portfolio/de-um-telhado-de-telhas-de-amianto-para-o-verde/. Acesso em: 25 mar. 2020.


CIPRIANO, A. N. Ilhas de calor influenciam temperaturas das cidades e níveis de conforto térmico. AUN – Agência Universitária de Notícias. Universidade de São Paulo, São Paulo, 11 jun. 2018. Disponível em: https://paineira.usp.br/aun/index.php/2018/06/11/ilhas-de-calor-influenciam-temperaturas-das-cidades-e-niveis-de-conforto-termico/. Acesso em: 24 mar. 2020.


POLETTO, A. Telhado verde: conheça 60 projetos e veja como funciona esta cobertura. Tua Casa, 2020. Disponível em https://www.tuacasa.com.br/telhado-verde/. Acesso em 25 mar. 2020.


RIGHI, D. P.; KÖHLER, L. G.; LIMAS, R. C. A.; SANTOS NETO, A. B. S.; MOHAMAD, G. Cobertura verde: um uso sustentável na construção civil. Mix Sustentável, v. 2, n. 2, 2016.


SADDI, K. G.; MOURA, R. O. Coberturas verdes: Análise do impacto de sua implantação sobre a redução do escoamento superficial. Dissertação (Graduação em Engenharia Civil). Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

VERTICAL GREEN. Conheça as leis sobre telhado verde em vigor no Brasil. 8 abr. 2019. Disponível em: https://www.verticalgarden.com.br/post/conheca-as-leis-sobre-telhado-verde-em-vigor-no-brasil. Acesso em: 25 mar. 2020.

0 visualização

Todos os direitos reservados ao Projeto de Extensão Construção +