TÉCNICAS CONSTRUTIVAS A SECO

Escrito por Julia Maria de Oliveira Khoury sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.



Ao longo do tempo a Engenharia Civil foi se adaptando às novas necessidades e técnicas que surgiam. Dentro do atual mercado competitivo na construção civil, a economia na execução de seus empreendimentos e preocupação com a qualidade e produção tornaram-se prioridades das empresas de construção (BERTOLINI, 2013). Construir tornou-se sinônimo de gerenciamento de custos.


Em meio a essa necessidade, são diversas as alternativas existentes hoje no mercado para atender essa nova demanda. São diversas as vantagens desses novos sistemas construtivos, mas com certeza uma de fundamental importância para o todo é a sustentabilidade.


Pois então, o que é Construção a Seco?

Trata-se de um método de construir diferente da alvenaria tradicional. Não utiliza tijolos nem as armações que usualmente se encontra em construções convencionais. Outro fator importante e que dá nome a esse tipo de sistema: não utiliza água. Consequentemente, concreto e cimento preparados na obra também são dispensados. Uma grande diferença dos métodos a seco com relação aos métodos convencionais é que os métodos a seco, se bem planejados, confeccionados e montados, podem reduzir sensivelmente os desperdícios da construção (BERTOLINI, 2013).


Os principais tipo de construção a seco utilizadas hoje em dia são: Light Steel Frame e Wood Frame.

O Light Steel Frame é possivelmente um dos mais utilizado e conhecidos no Brasil, a tecnologia chegou aqui nos anos 90 e é um sistema composto por perfis de aço galvanizado que formam as estruturas necessárias. Tem como vantagens a agilidade na construção, redução no peso da estrutura, menor custo (devido o menor tempo de construção), entre outras. Como desvantagens, a limitação de pavimentos e a necessidade de mão de obra especializada.

No Brasil, menos de 3% das edificações são construídas pelo sistema steel frame, muito pouco devido à todas vantagens que esse sistema apresenta. Isto se dá pelo fato de o Brasil ainda ser um país muito conservador, então novas tecnologias demoram para serem totalmente aceitas, mesmo apresentando muitos benefícios (PEREIRA, 2018).


Figura 1 –Wood Frame

Fonte: HOMETEKA, 2014.


O Wood Frame é um sistema que, assim como o Light Steel Frame, faz parte do CES (Construção Energitérmica Sustentável). No Wood Frame a parte estrutural (montantes e travessas) é composta por madeira maciça, enquanto que as chapas de revestimento são em OSB (Oriented Strand Board).

Esse sistema tem como principais vantagens ser uma estrutura leve e sustentável. Porém é um tipo de estrutura ainda não tão difundida no Brasil, e que requer mão de obra qualificada.


Figura 2 – Casa em Wood Frame

Fonte: PEREIRA, 2018.




Gostou do post?

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!





REFERÊNCIAS


BERTOLINI, Hibran Osvaldo Lima. Construção via obras secas como fator de produtividade e qualidade. UFRJ / Escola Politécnica. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: <http://monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10007921.pdf/>. Acesso em: 30 de novembro de 2020.

HOMETEKA, 4 eficientes sistemas de construção a seco. Acesso em: 30 de novembro de 2020. Disponível em: < https://www.hometeka.com.br/pro/4-eficientes-sistemas-de-construcao-a-seco/>.

PEREIRA, Caio. Wood Frame: o que é, características, vantagens e desvantagens. Escola Engenharia, 2018. Disponível em: <https://www.escolaengenharia.com.br/wood-frame/>. Acesso em: 29 de novembro de 2020.

PEREIRA, Caio. Steel Frame: o que é, características, vantagens e desvantagens. Escola Engenharia, 2018. Disponível em: <https://www.escolaengenharia.com.br/steel-frame/>. Acesso em: 28 de novembro de 2020.



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo