Proteção contra incêndio em estruturas de aço

Escrito por Isamara Coelho Neves sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa e Iara Ferreira de Rezende Costa.


O aço é atualmente um dos materiais mais utilizados na construção civil. Seja em vigas mistas, lajes protendidas ou estruturas totalmente metálicas, suas propriedades mecânicas oferecem às edificações características melhoradas, principalmente quando se trata de resistência.


Este material além de possuir boa resistência, é incombustível. Porém, as propriedades desse material são alteradas, e sofrem degeneração, quando há o contato intenso com o fogo. Por esse motivo, existem cuidados e materiais que são aplicados as estruturas de aço para sua proteção.


Algumas das normatizações que devem ser seguidas quando tratamos de proteção das estruturas em caso de incêndio são a NBR 14.432 que ditará quais as edificações estão isentas de verificação quanto à resistência ao fogo, além de determinar os materiais utilizados na estrutura e nas compartimentações dos edifícios para que atendam o tempo requerido de resistência ao fogo e a ABNT NBR 14.323 que indicará o dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio.


Existem dois tipos de proteções contra incêndio que podem ser citadas, a passiva e a ativa. Onde a passiva se trata de hidrantes, extintores, alarme do incêndio, sinalização de rotas de fuga, dentre outros.


Por outro lado, a proteção ativa se trata de precauções incluídas na própria edificação, projetadas e executadas com a intenção de evitar incêndios e caso ocorra exista medidas para que as pessoas se salvem. São exemplos dessas medidas as saídas de emergência, reação ao fogo de materiais de acabamento e revestimento, separação entre edificações e resistência ao fogo em elementos construtivos, que nesse caso são os materiais que serão abordados no presente trabalho.


Dois dos principais materiais que aumentam a resistência ao calor neste tipo estruturas são as argamassas projetadas e a tinta intumescente. Cada uma delas possui em sua composição, elementos que garantem um elevado calor específico, baixa condutividade térmica, garantia de integridade durante a evolução do incêndio, resistência mecânica adequada e custo viável.


1. Argamassa projetada


A argamassa projetada é composta pela mistura de aglomerantes, agregados leves e aditivos poliméricos. Este material é capaz de manter a temperatura do aço relativamente baixa por até 30 minutos durante a primeira hora do incêndio, sem liberar fumaça. Além de apresentar baixo custo elas acarretam um design diferente, considerado feio esteticamente e por isso são indicadas para uso em vigas ocultas por forros falsos, colunas embutidas com acabamentos e vigas livres de abuso mecânico onde o requinte visual não é esperado.

Figura 1- Argamassa projetada

Fonte: Isolamento acústico.


1. Tinta intumescente


A tinta intumescente proporciona isolação térmica através da intumescência (aumento de volume), que ocorre em temperaturas de aproximadamente 230°C. Este tipo de tinta é similar as comuns, não altera textura, nem a aparência da estrutura, sua aplicação é simples com pistola ou jato, sendo em três camadas. Na primeira, realiza-se o tratamento superficial com jato abrasivo ou lixamento mecânico, seguido da aplicação de primer. A segunda camada consiste na aplicação da tinta intumescente propriamente dita. Por fim, há a aplicação de tinta de acabamento que irá proteger a intumescente das agressões da atmosfera.

Figura 2 - Pintura intumescente


Fonte: Gypsum.


Dessa maneira, deixou-se evidente que embora um material apresente alta resistência, e boas características mecânicas, este não está isento de sofrer alterações ao longo de sua utilização. E por isso, existem medidas de proteções a serem tomadas, para que as propriedades não se alterem. É válido lembrar que existem outros tipos de materiais que podem funcionar como inibidores de incêndio e nesse trabalho foi escolhido somente dois para serem abordados.


Gostou do nosso post?!

Curtam comente e compartilhe com seus amigos!


REFERÊNCIAS


PANNONI, D. F. Princípios da proteção de estruturas metálicas em situação de corrosão e incêndio. GERDAU MINAS, [20-?]. Disponível em: http://www.laminacaoguanabara.com.br/downloads/8_protecao_estruturas_met_corrosao_incendio.pdf. Acesso em: 18 de nov de 2020.

25 visualizações

Todos os direitos reservados ao Projeto de Extensão Construção +