top of page

O que é análise hidrológica?

Escrito por Karen de Souza Guimarães, bacharel em Ciência e Tecnologia e Engenheira Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).


Figura 1: Análise hidrológica

Fonte: Adaptado de Rocha e Santos (2018).



A importância da água para as relações socioeconômicas, para a preservação do meio ambiente, salvaguardando a vida é indiscutível. No entanto, com o seu uso cada vez mais intenso, acarreta distúrbios no sistema hidrológico que impacta em seu equilíbrio dinâmico, principalmente no sistema ambiental. Dessa forma, estudos hidrológicos são necessários para compreender os processos que controlam o movimento da água e seu impacto no meio ambiente.


Para entender esses processos que controlam o movimento da água, são realizados estudos hidrológicos em bacias hidrográficas, que são unidades geomorfológica fundamentais, pois é a área de captação natural da água de precipitação da chuva que converge os escoamentos para um único ponto de saída. Além disso, possuem uma única forma de entrada, a precipitação, e a saída que é dada pelo regime runoff, consideradas as perdas por evapotranspiração.


O regime de runoff (descargas) geralmente é baseado nas descargas médias mensais permitindo a avaliação da sazonalidade das vazões. Os valores médios máximos e mínimos das vazões anuais podem revelar as possíveis alterações ao longo da série histórica da estação. Esses aspectos de avaliação tornam-se importantes devido às interações entre o homem e o ambiente, e os resultados muitas vezes contribuem nas alterações dos aspectos de intensidade e qualidade da relação precipitação-descargas na bacia hidrográfica.


Durante muito tempo, os estudos hidrológicos avaliaram em grande parte apenas dois componentes do ciclo hidrológico: a precipitação e o escoamento. A precipitação representa a entrada e o escoamento a saída do sistema, sendo a evaporação e a variação do armazenamento de água no solo quase sempre desconsideradas na análise. Entretanto, entender a gama de processos físicos que ocorrem na bacia é crucial para interpretar os resultados obtidos, suas limitações e aplicabilidade.


Atualmente, há uma variedade de modelos de pesquisa e análise hidrológica, mas todos eles requerem o monitoramento de bacias hidrográficas para fornecer indicações de mudanças desejáveis ou indesejáveis que ocorrem nos recursos hídricos. Por exemplo, as modelagens hidrológicas por sistema computacional como o SASHI (Sistema de Análise Simulação Hidrológica), análise morfométrica indicando os parâmetros físicos e características geométricas, a rede de drenagem de relevo, métodos de estimativa de vazão, análise espacial das bacias através da precipitação e escoamento superficial e entre outros.


Por conseguinte, a análise hidrológica é essencial para compreender e regularizar vazões dos cursos hídricos, incluindo o controle de erosão e de enchentes, manter a qualidade e quantidade de água caracterizando o seu comportamento, além de indicar a vulnerabilidade das bacias hidrográficas para inundações, perdas de matéria orgânica, nutrientes e microfauna. Ressalta-se que a análise também constitui informação básica para a tomada de decisão em várias áreas do conhecimento, principalmente em questões do planejamento ambiental e do uso dos recursos hídricos.


REFERÊNCIAS


JÚNIOR, N. B. Análise morfométrica e hidrológica da bacia do Ribeirão Estiva, afluente do Rio Paraibuna, Juiz de Fora- MG. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Sanitária e Ambiental), Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019.


LEÃO, A. C. N. Estudo ambiental da bacia hidrográfica de contribuição do manancial de Tocantins – MG. Trabalho Final de Curso (Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária), Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2017.


RENNÓ, C.D. Construção de um sistema de análise e simulação hidrológica: aplicação a bacias hidrográficas. Tese (Doutorado em Sensoriamento Remoto), INPE, São José dos Campos, 2004.


ROCHA, P. C; SANTOS, A. A. Análise hidrológica em bacias hidrográficas. Mercator, Fortaleza, v. 17, 2018.


SALIS, H.H.C., COSTA, A.M., VIANA, J.H.M., SCHULER, A.E. Caracterização morfométrica da bacia hidrográfica do Córrego do Marinheiro, Sete Lagoas – MG. Bol.geogr., Maringá, v.37, n.2. 186-201, 2019.


TUCCI, C.E.M. Modelos Hidrológicos. Ed. Universidade / UFRGS / Associação Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, 1998.


_____________ Hidrologia: ciência e aplicação – 2.ed. Porto Alegre: Ed. Universidade / UFRGS, 2001.


TUCCI, C.E.M.; GENZ, F. Controle do Impacto da Urbanização. In Drenagem Urbana. Porto Alegre: Ed. Universidade / UFRGS / ABRH, 1995.


96 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page