MURO E COBERTURA VERDE, quais as vantagens?

Escrito por Eduarda Matos sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa e Iara Ferreira de Rezende Costa.


Com o crescimento das cidades, as áreas verdes estão cada vez mais escassas. Atualmente, materiais como o concreto e o asfalto compõem grande parte dos revestimentos urbanos, tais materiais apresentam um balanço energético muito diferente do apresentado por superfícies vegetadas. Ao impermeabilizar o solo e ampliar a absorção do calor solar há o aumento da temperatura do ar e da temperatura radiante, como pode ser visto na Figura 1.


Figura 1: Variação das temperaturas de acordo com o revestimento do solo

Fonte: CAETANO, 2014


Os muros e coberturas verdes são excelentes e eficazes alternativas para melhorar consideravelmente nossa qualidade de vida. O telhado verde pode ser adotado nas cidades, em coberturas de edifícios, muitas vezes sem uso, como nos telhados residenciais convencionais. É uma técnica sustentável que têm inúmeras vantagens, tanto estruturais como de bem estar aos usuários, além de contribuir com o entorno urbano, amenizando os efeitos de ilhas de calor.

Os muros verdes ou jardins verticais, ou ainda, muros vivos seguem os mesmos princípios dos telhados verdes, sendo sua implantação vertical.


Figura 2: Telhado e muro verde em edificações

(a) (b)

Fonte: (a)CAETANO, 2014, (b) ECOTELHADO


Dentre as vantagens dos telhados e muros verdes podemos citar:

Conforto térmico: Atuam como eficientes isolantes térmicos. Por diminuírem significativamente a necessidade de energia para climatização de ambientes, os telhados e muros verdes também contribuem para a diminuição da emissão CO2;

Qualidade do ar: Além de reterem o carbono, os telhados e muros verdes agem como purificadores do ar urbano, através da fotossíntese e da absorção dos poluentes ao substrato;

Isolamento acústico: A vegetação absorve e isola ruídos;

Proteção estrutural: A cobertura vegetal elimina a concentração de calor, evitando a dilatação e protegendo a edificação contra trincas, além disso, o substrato absorve as chuvas ácidas;

Proteção pluvial: A laje vegetada contribui de forma muito significativa no escoamento de água da chuva;

Arquitetônica: As duas técnicas aparecem como tendências arquitetônicas em um ambiente urbano saturado de concreto, metal e vidro, fazendo um contraponto de cor, vida e renovação em uma área antes inutilizável. Nova opção de design para indústrias, residências e fachadas devido à variedade de plantas e folhagens possíveis;

Valorização do edifício: Por seus benefícios, confere ao imóvel um maior valor de venda, além de transformar áreas planas em espaços de lazer.

Algo que é visto como desvantagem em relação a estas soluções arquitetônicas é a manutenção periódica para o sucesso do sistema.


Gostou do post?!

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!


REFERÊNCIAS

CAETANO, Fernando Durso Neves. Influência de muros vivos sobre o desempenho térmico de edifícios. 2014. 117f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura, Tecnologia e Cidade.) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

VALESAN, Mariene; FEDRIZZI, Beatriz; SATTLER, Miguel Alosio. Vantagens e desvantagens da utilização de peles-verdes em edificações residenciais em Porto Alegre segundo seus moradores. Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/31679/000773421.pdf?sequence=1

ECOTELHADO. Quando o telhado verde vira lei. 2016. Diponível em: https://ecotelhado.com/quando-o-telhado-verde-vira-lei/

18 visualizações

Todos os direitos reservados ao Projeto de Extensão Construção +