Lajes pré-moldadas

Escrito por Thamires Siqueira da Silva sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


Figura 1 – Laje pré-moldada

Fonte: Google imagens


Segundo a NBR 6118 (2004) no item 14.7.7, diz que as lajes pré-moldadas são as lajes moldadas no local ou com nervuras pré-moldadas, cuja zona de tração para momentos positivos está localizada nas nervuras entre as quais pode ser colocado material inerte”. Elas são formadas basicamente por uma parte pré-moldada de concreto armado (que são as conhecidas vigotas), por elementos de enchimentos (blocos cerâmicos ou poliestireno expandido-EPS), e por uma capa de concreto moldada no local, cuja função é de garantir a distribuição dos esforços atuantes no elemento, aumentar sua resistência à flexão e nivelar o piso.


Já CHAVES (2012), diz que as lajes pré-moldadas são constituídas por vigas pré-fabricadas de concreto armado, nas quais se apoiam elementos de material leve. Esses elementos podem ser lajotas de concreto, de cerâmica ou a mais utilizada de EPS. Sobre as vigas pré-fabricadas e os elementos de material leve, aplica-se uma camada de concreto, de modo a cobri-los completamente. Geralmente, são usadas para reduzir tempo e mão de obra na edificação, pois esse modo de construção é um processo construtivo rápido e econômico.


Este sistema no Brasil é normatizado pela NBR 6118 – Projeto de Estruturas de Concreto – Procedimento (ABNT, 2014), NBR 14860 – Laje Pré-Fabricada – Pré Laje – Requisito Parte 1– Lajes Unidirecionais (ABNT, 2002) e NBR 14860 – Laje Pré-Fabricada – Pré Laje – Requisito Parte 2 – Lajes Bidirecionais (ABNT, 2002). Estas normas esclarecem o dimensionamento, os procedimentos, métodos, ensaios e requisitos de desempenho que as lajes devem possuir.


Existem diferentes tipos de lajes pré-moldadas, a sua escolha varia de acordo com o projeto de construção. Ela pode variar em cinco tipos distintos, convencional, protendida, treliçada, painel treliçado e alveolar.


Diante de estudos e análises realizadas, é possível identificar as principais vantagens que as lajes pré-moldadas podem proporcionar, que são, a redução do peso próprio da laje; redução do tempo gasto para execução em comparação com as lajes convencionais; possui a capacidade de vencer grandes vãos com quantidade mínima de altura; redução no uso de formas e escoras; redução da mão de obra; facilidade de execução; possui a capacidade de ser executada sem vigas, necessitando apenas de elementos que evitem a punção de pilares; possuem menores momentos em grandes vãos quando comparadas com as lajes maciças; facilidade nas instalações elétrica e hidráulicas; possui melhor isolamento térmico e acústico.


Já, as desvantagens, neste caso variam de acordo com cada tipo. Nas lajes treliças, a desvantagem é que o material utilizado dificulta a necessidade de fazer furos e aberturas, além de não ser um material muito aderente, necessitando a aplicação de chapisco ou gesso para o uso de revestimentos, por exemplo. A laje com vigota “T” não suporta sobrecargas que não foram previstas previamente, portanto dificilmente o layout consegue ser mudado drasticamente, evitando assim o risco de fissuras, trincas e outros danos mais sérios. Já a laje alveolar, por causa do peso e tamanho dos painéis, precisa ser transportada até o local da instalação por guindastes.


Gostou do post?

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!


Referências:

NBR 6118 – Projeto de Estruturas de Concreto – Procedimento (ABNT, 2014).

NBR 14860 – Laje Pré-Fabricada – Pré Laje – Requisito Parte 1– Lajes Unidirecionais (ABNT, 2002).

ESTUDO DO PROCESSO CONSTRUTIVO DE UMA LAJE PRÉ-FABRICADA COM VIGOTAS TRELIÇADAS.

Disponível em: tcc_artigo_rogerio-rev3.pdf (semanaacademica.org.br)

ESCOLHA DA ALTURA DE LAJES COM NERVURAS PRÉ-MOLDADAS PARA PAVIMENTOS DE EDIFICAÇÕES CONSIDERANDO AS VERIFICAÇÕES DO ESTADO LIMITE ÚLTIMO E DE DEFORMAÇÃO EXCESSIVA

Disponível em: LajeNerv-S8T177.pdf (unesp.br)

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo