Inibidores Verdes de Corrosão

Escrito por Anna Carolina de Souza Santos sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


Figura 1 - Corrosão em Concreto

Fonte: Google Imagens


A corrosão é a deterioração de um material causada pela interação físico-química deste material com o meio em que se encontra. Essa deterioração pode estar presente em materiais metálicos ou não-metálicos, como concreto, borracha, polímeros e madeira. Na construção civil busca-se retardar, eliminar e prevenir as alterações indesejáveis causadas pela corrosão, por meio do uso de inibidores. Os inibidores convencionais mais utilizados são os tensoativos, que são mais eficazes porque formam películas protetoras sobre áreas anódicas e catódicas. Apesar da eficácia dos inibidores convencionais, sua natureza tóxica, somada à crescente preocupação ambiental e às legislações ambientais mais rigorosas propiciaram o surgimento dos inibidores verdes, que têm impacto ambiental reduzido em comparação com os convencionais.


Os inibidores verdes são caracterizados como substâncias biodegradáveis que não contêm metais pesados ou compostos tóxicos. Diversas fontes naturais têm manifestado potencial para obtenção de inibidores, como extratos de frutas, vegetais, cereais e subprodutos industriais. Pesquisas têm demonstrado que alguns dos componentes em que essas fontes são ricas, como antioxidantes, ácido ascórbico, compostos fenólicos, alcaloides, flavonoides, taninos, celulose e compostos policíclicos podem levar à formação de um filme sobre a superfície metálica, de forma a evitar a corrosão, semelhante aos inibidores convencionais.


Figura 2 - Fontes de Extratos para Inibidores verdes

Fonte: Google Imagens


Alguns benefícios dos inibidores verdes além do fato de não serem tóxicos para o meio ambiente, principalmente por não conterem metais pesados, incluem serem oriundos de recursos naturais renováveis, serem biodegradáveis e terem baixo custo. Cada vez mais pesquisas demonstram a eficiência de diversos inibidores verdes, e suas vantagens econômicas e para o meio ambiente têm ficado cada vez mais evidentes. Logo, percebe-se que a área de inibidores verdes é inovadora e bastante promissora.


Gostou do post?

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!


Referências:


ALMEIDA, Cássia Carvalho de. Avaliação de inibidores verdes microemulsionados na inibição à corrosão do aço carbono AISI 1020. Dissertação (Mestrado em Ciências e Engenharia de Materiais)- Centro de Ciências Exatas e da Terras, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal. 2015. Disponível em: <https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/12760> Acesso em 05 jan. 2021.


FURTADO, Luana Barros. Desenvolvimento De Inibidores Verdes A Base De Alquilfenóis Para Aplicação Em Fluidos De Acidificação Para Poços De Petróleo. Dissertação (Mestrado em Ciências em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos)- Escola de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2017. Disponível em: <http://186.202.79.107/download/inibidores-verdes-para-aplicacao-em-fluidos-de-acidificacao-para-pocos-de-petroleo.pdf> Acesso em 05 jan. 2021.


ROCHA, Janaina Cardozo da; GOMES, José Antônio da Cunha Ponciano. Inibidores de corrosão naturais - Proposta de obtenção de produtos ecológicos de baixo custo a partir de resíduos industriais. Matéria (Rio J.), Rio de Janeiro , v. 22, supl. 1, e11927, 2017 Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-70762017000500421> Acesso em 05 jan. 2021.


34 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo