Entenda como o armazenamento correto dos materiais pode melhorar o desempenho da sua obra

Escrito por Luiz Henrique Lopes Vieira sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


O desempenho de uma obra é um dos principais fatores para que a edificação apresente servicibilidade e durabilidade durante sua vida útil, no entanto, deve-se atentar a algumas etapas primordiais, como o recebimento, manuseio e armazenamento dos materiais. Neste contexto, este artigo trata em específico sobre o armazenamento, visto que, é uma das etapas primordiais para que a obra apresente um melhor desempenho, e, além disso, haja uma diminuição dos custos.


Conforme apresenta Scienge (2020), os principais materiais utilizados na construção civil, são:


· Madeira (Ipê, Peroba, Sucupira, etc.);

· Cimento;

· Aço;

· Telhas cerâmicas e de fibrocimento;

· Tijolos cerâmicos e blocos de concreto;

· Agregados; etc.


Com isso, será apresentado a seguir, os métodos utilizados para o armazenamento correto dos materiais mencionados anteriormente.


De acordo com a Atex (2020), para o correto armazenamento das madeiras, o seu agrupamento deverá ser realizado em montes com 1,5 m de comprimento juntamente com uma altura de 2,0 m, além disso, deve-se organiza-las de modo que, as madeiras de maior dimensão estejam na parte inferior e as de menor dimensão na parte superior, objetivando-se estabilizar as pilhas de armazenamento. Além disso, é importante que as madeiras não estejam diretamente apoiadas sobre o piso, visto que, a umidade poderá prejudicar o material, dessa forma, devendo-se posicioná-las a no mínimo 15 cm do chão de modo a apoiá-las sobre vigas, tijolos, blocos, paletes, etc.


De modo semelhante, o cimento é um dos materiais que não deve ser armazenado em locais úmidos, com isso, seu armazenamento deverá ser realizado em locais secos, não apoiado diretamente sobre o piso, dessa forma, deve-se utilizar tablados de madeira de modo a colocar o cimento em no mínimo 30 cm do piso. Além disso, o empilhamento deste material deverá ser realizado com no máximo 10 sacos, pois a sobrecarga gerada nos sacos inferiores poderá rompê-los acarretando perda do material, e, ainda, a compressão sobre os grãos do cimento poderá endurecer todo o material (ABCP, 2011).


Em relação ao aço, tem-se a umidade como uma das principais intempéries prejudiciais ao seu desempenho, visto que, é o fator primordial para a iniciação do processo de corrosão de armadura, fator esse, que proporciona a diminuição da resistência do material. Neste contexto, a Atex (2020) menciona que o armazenamento do aço deverá ser realizado em local seco e disposto a no mínimo 15 cm do piso, diminuindo-se assim, o contato com a umidade e demais intempéries (chuva, etc.).


Em contrapartida, para o armazenamento das telhas cerâmicas, deve-se atentar ao local, de modo a escolher um local de armazenamento seco, ventilado, plano e coberto, além disso, para evitar quebras e consequentemente perdas, o empilhamento deve ser feito de modo que as telhas estejam inclinadas e empilhadas em fileiras, de modo a não ultrapassar pilhas superiores a três fiadas. Em contrapartida, as telhas de fibrocimento deverão ser armazenadas em pilhas de até 50 telhas, alternadas a cada 10 peças. Por fim, aconselha-se que ambas as telhas não estejam apoiadas diretamente sobre o piso (LATACHE, 2011).


Em relação ao tijolo cerâmico, Latache (2011) menciona que para este material o armazenamento deverá ser realizado em locais planos e secos, e, além disso, devem estar dispostos em pilhas de no máximo 2,00 m de altura, destaca-se que, para os tijolos paletizados, o empilhamento máximo deverá ser de dois paletes. Em contrapartida, para os blocos de concreto a altura máxima das pilhas deverá ser de 1,20 m e comprimento máximo de 3,00 m (ATEX, 2020).


Assim, no que diz respeito ao armazenamento dos agregados, a Atex (2020) cita, que os agregados não deverão estar armazenados ao ar livre, visto que, o vento, água de chuva, etc., poderão ocasionar o carreamento do material. Neste contexto, aconselha-se que este material seja coberto por lonas e que tenham barreiras em seu contorno, evitando-se assim, futuros desperdícios. Salienta-se que, quando este material estiver diretamente em contanto com o solo, deve-se desconsiderar os primeiros 5 cm do mesmo, visto que, poderá haver possíveis contaminações decorrentes do solo ao qual o agregado se apoia (LATACHE, 2011).


Contudo, para que a obra apresente um desempenho ideal, algumas medidas adotadas, como o correto armazenamento dos materiais deverá ser seguida, pois, a utilização de materiais danificados, de baixa qualidade, contaminados, etc., poderá acarretar possíveis patologias na edificação, como trincas, corrosão de armadura, mofo, bolor, etc., prejudicando a servicibilidade e durabilidade da mesma.

Gostou do nosso post?!

Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!


REFERÊNCIAS


ABCP, Associação Brasileira de Cimento Portland. Como armazenar cimento. 2011. Disponível em: https://abcp.org.br/imprensa/banco-de-pautas/como-armazenar-cimento/. Acesso em: 01 jun. 2020.


ATEX. 5 dicas de como armazenar insumos na construção civil. Disponível em: https://www.atex.com.br/blog/materiais/5-dicas-de-como-armazenar-insumos-na-construcao-civil/. Acesso em: 01 jun. 2020.


LATACHE. Catálogo de Materiais: especificação, inspeção, manuseio e armazenamento de materiais. 2011. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/2403/3/CM%20-20Catalogo%20de%20Materiais.pdf. Acesso em: 01 jun. 2020.


SIENGE. Material de Construção. Disponível em: https://www.sienge.com.br/material-de-construcao-2/. Acesso em: 01 jun. 2020.

0 visualização

Todos os direitos reservados ao Projeto de Extensão Construção +