CONSTRUÇÃO DE MADEIRA

Escrito por Tamirys Eduarda Souza Ribeiro sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


A madeira ostenta serventia como material de construção, apresentando diversos aspectos positivos dos quais relaciona dentre outros, comodidade, visto que é um polímero natural que preserva seus particulares. Um material leve, fácil de processo que evolui ao longo do tempo se abre todo um novo campo de possibilidades técnicas (Natterer,2004).


Figura 1: Exterior de uma casa de madeira


Fonte: Brasil Casas de Madeira Maciça


Quando se analisa a história do Brasil, desde seu descobrimento pelos portugueses, nota-se que a primeira movimentação econômica do país, foi a exploração da madeira, especificamente o Pau-Brasil.


A visão distorcida de construções civis de madeira, proveniente das marcas deixadas pela exploração dos estrangeiros, da utilização de técnicas impróprias no decorrer dos tempos, que submete essas construções a refletir como moradias precárias (sub-habitação). Por volta de 1900, o governo vetou nas zonas centrais construções de madeira, na cidade de Curitiba. Para MEIRELLES et al. (2005) este fato contribui para gerar no meio técnico brasileiro, o preconceito contra as estruturas em madeira .


A construção com esse material, faz-se mais econômica, devido o potencial nacional de produção, diminui da emissão de CO2 (dióxido de carbono ), tal como economia de água , que por sua vez nao é necessária nesse processo. A indústria da construção civil, apresenta além de atividade econômica relevante , grandes impactos ambientais .TORGALL (2010) afirma que, essa indústria é responsável por 30% das emissões de carbono, sendo que o parque edificado consome 42% da energia produzida.


De acordo com ROAF (2006) são fatores determinados pelas qualidades dos materiais:

• Energia necessária para produzir o material;

• Emissão de CO2 resultante da fabricação do material;

• Grau de poluição resultante do material no final de sua vida útil;

• Impacto no meio ambiente local, resultante da extração do material;

• Toxicidade do material;

• Transporte do material durante a sua fabricação e sua entrega ao local de destino.


Essa matéria-prima deve ser proveniente de reflorestamento e com tratamentos. Para tanto recomenda-se que as madeiras utilizadas nas construções sejam de origem certificada ou retiradas de áreas de manejo SZÜCS (2004).


A ABNT (Associação Brasileira De Normas Técnicas) apresenta como objetivo em NBR7190( 1997), que esta Norma fixa as condições gerais que devem ser seguidas no projeto, na execução e no controle das estruturas correntes de madeira, tais como pontes, pontilhões, coberturas, pisos e cimbres.


De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2015, as moradias de madeira no Brasil, localizava-se principalmente na região sul e norte, como apresentado o gráfico a abaixo:


Gráfico 1: Distribuição de moradias de madeira no Brasil por região (IBGE, 2015)



N-norte; S-sul; SE-sudeste; CO-centro-oeste; NE-nordeste

FONTE: IBGE (2015)


Se faz necessário a evolução do pensamento, superar o preconceito, posto que a madeira apresenta muitos benefícios para a construção. Dentre os pontos positivos: é material ecológico, gera gastos baixos na construção e manutenção, rapidez na execução, isolamento térmico e acústico, colaborar na redução de emissão de CO2. Pontos importante a considerar: Necessita mais manutenção e tratamentos, apresenta menor resistência aos desastres naturais, suscetível a ataques de cupins e insetos, desconforto acústico provocado pelos ruídos no próprio material.


Gostou do post?

Nos acompanhe nas nossas redes sociais!


REFERÊNCIAS


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190 – Projeto de Estruturas de Madeira. ABNT. Rio de Janeiro, 1997.

COSTA, B. L. C. Quantificação das emissões de CO2 geradas na produção de materiais utilizados na construção civil. Rio de Janeiro, 2012, 190 p. (Dissertação de Mestrado apresentado ao programa de Pós-graduação em Engenharia Civil, COPPE- Instituto Aberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia- UFRJ, para obtenção do título de Mestre em Engenharia Civil)

CUNHA, Iasminy Borba da. Quantificação das emissões de CO2 na construção de unidades residenciais unifamiliares com diferentes materiais. Porto Alegre - RS. 2016. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais, PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2015. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2017.

MANFRINATO, Maria E.. Estudo sobre o uso da madeira para fins estruturais e arquitetônicos. 2015. 88f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Civil) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Campo Mourão, 2015.

MEIRELLES, C. R. M; DINIS, H., BISCAIA, J. L; VASCONCELOS, R. Evolução das Coberturas em Madeira no Brasil. Equador, CLEFA: 2005.

Modelos de Casas de Madeira Pré-fabricadas Prontas. Disponível em: <https://www.brasilcasas.com.br/wp-content/uploads/2017/09/Fotos-site-15.jpg>Acesso em 01 mar. 2021

NATTERER, J.; HERZOG, T. VOLZ, M.; WINTER W. Timber Construction Manual. Germany, 2004.

Prado Jr. Caio. História Econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2008

ROAF, Sue. Ecohouse: A casa ambientalmente sustentável. Porto Alegre: Bookman Editora 2006.

TORGAL, Fernando Pacheco; JALALI Said. A Sustentabilidade dos Materiais de Construção. Minho: Tecminho, 2010.





41 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo