top of page

BORRACHA EM ASFALTO

Escrito por Tatiane Burmann Hirle sob orientação dos professores Alcino de Oliveira Costa Neto e Iara Ferreira de Rezende Costa.


Figura 1 – Borracha em asfalto

Fonte: Google imagens


O uso do asfalto com borracha começou como um meio para resolver o problema da eliminação de montagem de pneus de borracha. Atualmente, as misturas asfálticas com borracha são normalmente, produzidas com restos ou resíduos de borracha e são obtidas por meio de várias técnicas, incluindo o processo seco e úmido.

Segundo a resolução nº 258 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que estabeleceu o conceito de responsabilidade do produtor e do importador pelo ciclo total do pneu, cuja composição é, aproximadamente, 85% de borracha, 10% de aço e 5% de lonas, numa massa aproximada de 50 kg para um pneu de caminhão.

Nessas misturas podem conter aditivos ou modificadores como diluentes e óleos, entre outros. No processo seco, os grânulos da borracha representam de 0,5 a 3,0% da massa do agregado, enquanto que no processo úmido o pó de pneu representa aproximadamente 15% da massa do ligante ou menos que 1,5% da massa da mistura.

O processo de fabricação modifica as características físico-químicas dos materiais, dando origem a um produto de alto desempenho, com valores de viscosidade, ponto de amolecimento e capacidade elástica mais elevados do que os do asfalto convencional.

As vantagens de se utilizar a borracha triturada de pneus nas misturas asfálticas devem levar em consideração os benefícios de cunho ambiental e de engenharia (FERNANDES JÚNIOR, 2015).

O primeiro impacto positivo no uso de borracha em misturas asfálticas está no ambiente, pois a restauração de pavimento com esse tipo de asfalto pode usar até mil pneus por quilômetro, o que reduz o depósito desse material em aterros ou fora deles, diz o pesquisador Luciano Specht, da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí).

  • Melhora as condições de saúde, meio ambiente e segurança.

  • Diminui a emissão de poluentes.

  • Gera menor propagação de trincas.

  • Prolonga os intervalos entre as intervenções na pista.

  • Provoca menos ruído.

  • Reduz o spray causado pelos pneus dos veículos em dias de chuva.

  • O pó da borracha proveniente de pneus reciclados garante maior flexibilidade e resistência.

Dessa maneira, o procedimento encarregado da elaboração do asfalto modificado com borracha atua na alteração das propriedades físico-químicas dos materiais inerentes ao produto. A produção do asfalto modificado viabiliza o processo com desempenho elevado, cujo valor de viscosidade lhe garante maior excelência. Outros fatores de destaque no asfalto modificado com borracha são seu ponto de amolecimento e a habilidade elástica superior àquela encontrada no asfalto convencional.

A tecnologia de modificação de ligantes asfálticos pela adição de borracha moída de pneus surge como destaque, pois além de conferir um sublime desempenho físico e reológico ao ligante, incorpora em seu objetivo um recurso ecológico de grande destaque, dando solução a um dos maiores problemas ambientais que existe nos dias atuais que é o descarte ilegal de pneus inservíveis.


Gostou do post?


Curta, comente e compartilhe com os seus amigos!



Referências:

BERNUCCI et al., Pavimentação asfáltica: formação básica para engenheiros. – Rio de Janeiro: PETROBRAS: ABEDA, 2008. 504 p.

CONAMA Conselho Nacional do Meio Ambiente. RESOLUÇÃO N° 258, de 26 de agosto de 1999. Acesso em: 15 de julho de 2021.

DI GIULIO, Gabriela. Vantagens ambientais e econômicas no uso de borracha em asfalto. Inovação Uniemp [online]. 2007, vol.3, n.3, pp. 12-15.

FERNANDES JÚNIOR, J. L. Avaliação laboratorial de mistura asfáltica densa modificada com adição de borracha. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2015.

GRECA Asfaltos. Artigo Greca sustentável. Disponível em: <https://www.grecaasfaltos.com.br/artigos-e-links/>. Acesso em: 15 de julho de 2021.

73 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page